Tendinite no Quadril: Saiba Como Evitar Esse Problema

Causada por falta de fortalecimento na região e excesso de treino, a tendinite no quadril atinge em maioria mulheres

POR ANDRÉ NOGUEIRA FERRAZ – Dores na cintura, fisgadas nos glúteos, dificuldade para andar ou câimbra nas pernas após extensos repousos? Você pode estar sofrendo de tendinite no quadril!
Inflamação nos tendões dos músculos do quadril, principalmente nos músculos glúteos, a tendinite ocorre em decorrência de um desequilíbrio muscular, sobrecarregando os músculos que tensos tracionam seus tendões, gerando inflamação e dor na região lateral do quadril. Os sintomas normalmente aparecem nos movimentos de abrir, fechar e dobrar o quadril e também em atividades de impacto. Mas dependendo do grau da tendinopatia, pode ocorrer dor noturna, quando o individuo esta em repouso.

A tendinite nessa área é muito comum em atletas que utilizam em demasia as pernas e os glúteos máximo e médio – como corredores, ciclistas e jogadores de futebol, mas sua prevalência é em mulheres – pela estrutura anatômica de quadris largos, o que favorece a sobrecarga na região. Em maioria, a ocorrência em atletas dá-se pelo enfraquecimento desses músculos, por isso é de extrema importância fortalecer os músculos. Além disso, outras medidas preventivas são evitar o aumento abrupto de carga de exercício e respeitar o período de descanso necessária para cada modalidade de esporte.

O tratamento para essa lesão é baseado no alívio da dor, com relaxamento dos músculos que estão sobrecarregados – para que deixem de tracionar seus tendões. Ademais, a eletrotermoterapia também é utilizada, como ação anti-inflamatória e o fortalecimento específico do músculo acometido, para evitar futuras lesões.

Outras traumaturas comuns na região do quadril são a bursite trocantérica (região lateral), a tendinopatia do músculo íliopsoas ou reto femoral (região anterior) e o ressalto interno (região anterior) ou externo (região lateral). Todas essas lesões são causadas por impacto, degeneração ou desgaste articular.

Alguns dos exercícios de fortalecimento e prevenção são:

ostra

Ostra – Focado nos músculos rotadores laterais do quadril – Glúteo Médio e Piriforme. Deitado de lado, com o quadril e joelho flexionados a 45º, colocar uma faixa elástica ao redor dos joelhos, pés apoiados um sobre o outro. Abrir e fechar sem encostar um joelho no outro. Repetir 3 séries x 15 repetições.

 

Straigth Leg Raise Lateral – Focado nos músculos abdutores do quadril – Glúteo Médio. Deitado de lado com aperna de baixo dobrada e a de cima esticada e um pouco para trás, levantar e abaixar a perna de cima. Repetir 3 séries x 15 repetições.

Straight Leg Raise Lateral – Focado nos músculos abdutores do quadril – Glúteo Médio.
Deitado de lado com aperna de baixo dobrada e a de cima esticada e um pouco para trás, levantar e abaixar a perna de cima. Repetir 3 séries x 15 repetições.

[FOTO] Agachamento Isométrico 45° - Foco em extensores de quadril e joelho – Glúeo máximo e isquiotibiais. Em pé, com uma faixa elástica ao redor dos joelhos, inclinar o tronco para frente, agachar até 45º sem levar os joelhos para frente em direção aos pés. Repetir 3 séries x 15 repetições.

Agachamento Isométrico 45° – Foco em extensores de quadril e joelho – Glúteo máximo e isquiotibiais.
Em pé, com uma faixa elástica ao redor dos joelhos, inclinar o tronco para frente, agachar até 45º sem levar os joelhos para frente em direção aos pés. Repetir 3 séries x 15 repetições.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *