Declare Guerra a Baixa Autoestima

E de repente tudo está errado. O espelho grita, a balança acusa, a vida social anda “meia boca”, o trabalho se arrasta e até o relacionamento implora uma pitada de pimenta. E como resolver todos essas maldições com uma tacada de mestre? Simples assim: Correndo.

Não são raros os casos de pessoas que começam a correr porque não estão se sentindo bem consigo mesmas e a corrida assume um papel importante na autoestima das pessoas, tendo em vista que traz resultados rápidos e eficientes.

Acho que todo mundo lembra da frase: Run, Forrest! Run! no filme Forest Gump – O contador de Histórias.  Em pensar que tudo começou porque o coitado teve seu coraçãozinho despedaçado e resolveu sair correndo sem parar por aí. E enquanto corria, seus problemas iam ficando há milhas e milhas distante do seu amor, no maior estilo Blitz, combatendo a depressão e superando incrivelmente seus limites.

Na verdade, apesar de ter sido so um filme, isso é a vida real. A corrida, não está em 2º lugar como o esporte mais querido a toa não (só perde para o futebol). É o famoso “mil e uma utilidades”, já que ajuda na perda de peso, a modelar o corpo e principalmente dá aquele up na autoestima.

Percebam que quanto mais correm, mais resultados aparecem e consequentemente  passam a gostar mais da sua imagem, a se sentir confiante. E isso faz com que o relacionamento com todas as pessoas ao seu redor seja melhor,  já que o amor-próprio é um dos maiores benefícios que o esporte traz em relação à percepção que as pessoas tem de si mesmas.

E ai vem o que chamo de bola  de neve do bem: sentindo-se bem consigo mesmo, faz com que se torne uma pessoa segura para enfrentar os desafios no dia a dia e sabem por que? Porque todo corredor é determinado e disciplinado e acaba levando para o trabalho e para tudo que faz toda essa determinação e disciplina gerando um desempenho profissional bem melhor.

Eu detesto trazer a psicologia para as coisas que escrevo ou que faço, acho a psicologia exagerada e chata, mas, neste caso, vale lembrar que os psicólogos acreditam que a corrida é capaz de arremessar pra bem longe qualquer tipo de insegurança. Faz sentido, já que nós corredores estamos sempre a procura de novos desafios e cheios de vontade de nos superarmos e esse tipo de pensamento também é transferido para o nosso cotidiano, diminuindo consideravelmente o medo de arriscar em qualquer situação ou de ficar indeciso.

E já que é pra falar bem da corrida e de seus inúmeros benefícios em relação à autoestima, não dá para não mencionarmos a melhora no relacionamento amoroso. E aqui nem precisa ser expert para saber o porque. Qual pessoa não se sente mais atraente ou sexy quando o que vê no espelho lhe agrada? E isso não é uma questão de colocar como fator primordial de conquista a forma física não, mas sim a sua autoconfiança. Uma pessoa autoconfiante conversa melhor, se diverte mais e é claro, tem um poder de sedução maior, e acaba despertando o interesse de mais pessoas.

Não é a toa que pesquisas afirmam que mulheres e homens corredores tem melhor desempenho na cama e aqui mais uma vez nem precisa ser muito esperto para saber o porquê, já que as pessoas que se cuidam e que gostam de si,  tendem a ficar mais à vontade em seus momentos íntimos, o que é claro acaba por tornar a relação bem mais fogosa.  Sem contar, é claro, o preparo físico de quem pratica a corrida que reflete diretamente no desempenho na hora “H”.

E o humor?   A endorfina é responsável pelo desenvolvimento de um humor estável para aquelas pessoas que praticam esse esporte regularmente. Essa substância deixa a pessoa tranquila e bem-humorada.

É muito benefício pra pouco custo! É benefício pra mais de metro sô! Então, está esperando o que? Coloque o tênis , explore novos caminhos e declare guerra à baixa autoestima!

#correrbemparacorrersempre

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *