O dia que virei ultramaratonista

POR VANESSA BORGONOVI – “Se você puder forçar seu coração, seus nervos e seus músculos, à recomeçar tudo depois deles já terem se esgotado, e ainda aguentar mesmo quando não há mais nada em você, exceto a vontade que diz para eles: “Agüentem Firme!”

21/10/2017 – O dia que percebi que era capaz de tudo, só me faltava voar!

Com este pequeno trecho traduzido do poema IF de Rudyard Kipling começo a contar para vocês como foi o dia em que me tornei ultramaratonista.

4hs toca o despertador, lá estava eu me arrumando para uma das maiores insanidades da minha vida! Os 75k solo da Ultramaratona Bertioga Maresias.

Hoje quase 1 ano da prova, meus olhos ainda se enchem de lágrimas ao relembrar tudo o que vivi naquele dia. Fui agraciada pela presença de pessoas especiais e primordiais que estiveram ao meu lado pc por pc, e digo que graças a elas eu conclui este desafio.

Sabia que seria uma prova muito dura por conta da serra, da areia, do calor, e que a minha a maior dificuldade sem sombra de dúvidas, foi o de correr na praia. Não tinha nenhuma experiência com esse tipo de corrida e mesmo assim com a cara e a coragem, lá fui eu. Diante das dificuldades que passei (e olha que não foram poucas, cheguei a apagar e cair na serra), em nenhum momento passou em minha cabeça desistir, salvo qd fui obrigada a entregar meu chip. Assim que cheguei ao último PC fui informada que aquele posto estava fechado e que a prova praticamente seria encerrada antes que eu chegasse ao final da Serra. Chip entregue e totalmente decepcionada comigo mesmo, eu, meu treinador e um amigo, hoje meu cumpadre juntos começamos a subir a famosa serra! Naquele momento estava sim bastante decepcionada por não ter dado conta de realizar o feito no tempo correto de corte, porém realizada e feliz demais por perceber que faltava tão pouco em ter cumprido meu desafio.

Subia… subia… que serra é aquela! Muitos carros passavam no sentindo contrário e quanto carinho recebi. Eram gritos, buzinas e incentivos que me deram ainda mais forças para continuar.

Ufa! Acabou a serra… chegamos na praia!

Jamais esquecerei daquele momento tão especial. Eu caminhava, olhava ao redor via pessoas que eu nao conhecia me aplaudindo, gritando. Chorava… Agradecia… E qto mais eu me aproximava de onde estava a estrutura eu percebia um pequeno aglomerado de pessoas que ali estavam.

Faltavam uns 300 metros para chegar junto destas pessoas, fui recebida por uma das maiores ultramaratonistas do Brasil: Fabiola Otero que carinhosamente me abraçou, segurou a minha mão e falou: vc conseguiu!
Onde estava o portico estavam meus anjos e pituca, a dog mais atleta que conheço! rs Gritos, aplausos e muito carinho foi assim a minha chegada! Todos ao redor aplaudindo e eu… realizada!

O que descobri após longas horas e 75km?

O verdadeiro significado de amizade, parceria e força de vontade.
Foi uma das melhores experiencias da minha vida! Sofrida? Demais, faria novamente? Claro! 2019 anota ai! Estarei lá novamente!

Vanessa Borgonovi – 40 anos, mãe de duas filhas, dona de casa, pedagoga e corredora por paixão!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *