Qual a importância da resiliência nas corridas?

POR WÂNIA RENNO SIERRA – Quando você decide correr uma prova específica, alguns fatores fizeram com que você escolhesse essa prova. Pode ser por um novo desafio, uma prova diferente, pelo local, pelo tipo de prova, por incentivo do seu treinador, de amigos, por já ter feito essa prova antes e querer repeti-la, etc.

Talvez você já tenha algumas estratégias mentais para realizar sua prova. E se não tem é importante pensar sobre isso. Existem coisas que podem depender de você, mas outras coisas não dependem. O que depende, são as variáveis que podem ser controladas. A intensidade do seu treino para realizar essa prova, sua alimentação, sua hidratação, o conhecimento prévio do percurso, preparação mental.  Por outro lado, muitas outras variáveis importantes não podem ser controladas. A temperatura no dia da corrida, estações de hidratação muito distantes, alguma lesão que possa ocorrer durante o percurso, a noite anterior mal dormida, algum problema pessoal que tenha passado dias antes da prova, até mesmo sentimento como ansiedade pré-competitiva ou simplesmente o stress da autocobrança de uma determinada performance.

Diante das variáveis não controláveis ressalto a importância do treino mental que poderá ajudar o atleta a ter resiliência. Resiliência segundo a definição na Wikipédia, é a capacidade do indivíduo lidar com problemas, adaptar-se às mudanças, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas.

Se algum dos fatores que não se pode controlar acontecerem, a resiliência entra como um estado importantíssimo. É através da resiliência que o atleta vai conseguir enfrentar qualquer problema e voltar ao seu estado original para que sua prova continue da forma como planejou. A tranquilidade, o relaxamento que pode ser treinado, pode ser de grande ajuda nesse momento. E quanto mais o atleta passar por situações que não estavam previstas, mais resiliência vai adquirindo.

Eu sugiro que após a prova você faça uma retrospectiva sobre tudo o que aconteceu e você vai perceber se foi ou não resiliente.

Não podemos esquecer que as frustrações sobre a prova podem acontecer, não atingir a performance desejada, ou ter se lesionado, podem fazer parte da sua vida enquanto atleta. Ficar focado na frustração não ajudará em nada. Tente aprender com o que aconteceu. Ressignifique.

Já ouvi alguns atletas que se lesionaram numa prova, e depois de acordo com o nível da lesão precisarem ficar afastados das corridas até sua total recuperação através de fisioterapia ou qualquer outro tratamento. Sabemos que para quem corre ser afastado das corridas é sempre difícil. A sua capacidade de resiliência poderá te ajudar nesse momento de tratamento.

Mesmo estando parado, o treino mental deve continuar, pois sua mente deve ser trabalhada nesses períodos. Se fortalecer mentalmente é fundamental em qualquer circunstância.

Lembre-se quando você entra numa prova, a ideia é que tudo sairá como planejado, mas tenha em mente que nem sempre será dessa forma. Porém, quem corre, adora correr, e não vai parar, então vamos em frente sempre! Aprenda a ser resiliente.

Wania Rennó é psicóloga Clínica e do Esporte, diretora do Núcleo de Integralização Humana (www.nihumana.com.br).

Facebook: wania.r.sierra
Instagram: waniarenno

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *