Saiba como evitar e tratar a canelite

POR RENAN CALORI – Já sentiu dor na canela para correr? Essa dor é muito comum em corredores, e tem incidência de 4% a 35% em atletas. Se você tem dor na parte da frente da perna, podemos estar lidando a canelite e é dela que falaremos hoje.

A canelite é o nome popular da Síndrome do estresse tibial medial. Essa nomenclatura mostra que a dor pode ser desencadeada por vários fatores, por isso leva o nome “síndrome” e que a dor está localizada na parte de dentro (medial) do osso da canela (tíbia). A dor é difusa e é sentida na parte de baixo da canela. A intensidade da queixa diminui com o aquecimento e piora no dia seguinte após a corrida. A lesão acontece no periósteo, uma membrana de tecido conectivo que reveste os ossos. Estudos mais recentes apontam que a fonte da dor também está relacionada com o aumento de carga do músculo solear e do músculo flexor longo dos dedos.

Existem alguns fatores que podem contribuir para o aparecimento da canelite, são eles o calçado inadequado, diminuição da flexibilidade do tornozelo, sobrecarga de treino sem descanso adequado, IMC elevado, maior amplitude de movimento de rotação interna e externa do quadril e rebaixamento do arco plantar.

A mecânica da corrida pode influenciar no aparecimento da canelite. Se o pé prona, ou seja, a planta do pé fica voltado para fora excessivamente a cada apoio e se damos muita pancada no chão, a tíbia vai desalinhar o que faz com que o periósteo fique sujeito a trações na parte mais medial da tíbia, levando a uma maior sobrecarga do lado de dentro na canela, além disso o músculo solear passa a ficar excessivamente ativo para resistir a pronação excessiva do pé e com isso pode se lesionar.

É importante entender que se a canelite não for tratada logo, os sintomas podem se agravar e se isso acontecer pode evoluir para uma fratura por estresse e aqui inevitavelmente seu afastamento da corrida acontecerá até que a lesão melhore.

No tratamento inicial as medidas a serem tomadas são relacionadas a analgesia. Aqui, ações podem ser feitas como aplicação de gelo por 20 minutos na canela; uso de calçados ou palmilhas que ajudam na absorção de impacto e na melhora da queda do arco plantar; aplicação de bandagem elástica na canela; massagem e compressão digital nos músculos que envolvem a canela e a panturrilha.

Como falamos em todos os posts anteriores, o tratamento vai envolver sempre descobrir qual é a causa raiz da sobrecarga na canela e isso envolve entender como você corre, com a avaliação da sua corrida por um profissional. Então, se você tem dor na canela para correr procure seu fisioterapeuta ou treinador e entenda a causa mecânica da sua dor.

No próximo post falaremos de algumas dores que aparecem com frequência no joelho. Fique ligado.

 

 

RENAN CALORI – Formado em fisioterapia pela Universidade de São Paulo (USP), especializado em Fisioterapia no Esporte e Exercício pelo Hospital das Clínicas.  Supervisor da extensão acadêmica Fisioterapia Pró Seleção e da Liga de Fisioterapia Esportiva da USP. Fisioterapeuta no Instituto Branca Esportes e sócio fundador e fisioterapeuta da MOV4- Fisioterapia Esportiva.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.