Tipos de lesões na corrida

POR RENAN CALORI – Já sentiu dor para correr? Se nós pesquisarmos por aí sobre “lesões na corrida’’ alguns nomes famosos vão aparecer, como a fascite plantar, canelite, síndrome da banda iliotibial, tendinopatias, bursites, condromalácia patelar e lombalgia. Muitos de vocês já devem ter lido sobre isso, mas muitas dúvidas continuam frequentes entre os corredores: será possível correr sem dor? Se doer o que devo fazer? Tem um jeito certo de correr? Dá pra prevenir? Essa coluna vai responder essas perguntas. Nesse primeiro post vamos dar um panorama geral dos tipos de lesões que existem na corrida e entender como elas acontecem do ponto de vista do nosso corpo e do nosso sistema nervoso.

Na corrida existem dois tipos de lesões. As chamadas macrotraumáticas, que é quando existe um evento de grande energia em um curto espaço de tempo, por exemplo um entorse de tornozelo e as chamadas microtraumáticas ou lesões de sobrecarga, que é quando vão acontecendo pequenas lesões em um período maior  de tempo, por exemplo a canelite.

Nos próximos posts falaremos sobre lesões de sobrecarga. Para isso, precisamos entender um pouco mais sobre o que é correr sob de vista do nosso sistema nervoso. Esse sistema está preocupado em fazer com a gente corra, saindo de um ponto e indo a outro. Ele, então, organiza nosso corpo para que a gente possa fazer isso. Dentro dessa organização, ele pode encontrar milhares de variações anatômicas e biomecânicas. Por exemplo, podemos, em cada passada inclinar o tronco para o lado direito, apoiar o pé no chão com a planta do pé voltada para dentro,dar passos mais largos ou mais curtos, manter o ombro elevado, manter a cabeça abaixada,  enfim existem milhares de possibilidades e isso vai variar de pessoa para pessoa.

Então vamos pensar: Se ao correr, o nosso corpo quer que a gente vá para frente e apresentar desalinhamentos para qualquer lado que não seja para frente, ele vai gastar mais energia do que precisa, e pode sobrecarregar alguma estrutura, pois o corpo não está distribuindo a carga que recebe do chão de forma igual, muito menos se sustentando de forma igual. Nesses casos, você pode estar propício a ter uma lesão. Como a corrida é uma atividade cíclica e repetitiva, esses desalinhamentos podem estar machucando algum tecido do corpo, e isso gera as lesões de sobrecarga. Nos próximos textos abordaremos cada uma delas.

Você tem dor para correr? Tem algum diagnóstico médico de lesão por sobrecarga? Conte-nos um pouco sobre essa experiência na corrida.

Fique ligado, nosso próximo post será sobre a fascite plantar.

 

RENAN CALORI – Formado em fisioterapia pela Universidade de São Paulo (USP), especializado em Fisioterapia no Esporte e Exercício pelo Hospital das Clínicas.  Supervisor da extensão acadêmica Fisioterapia Pró Seleção e da Liga de Fisioterapia Esportiva da USP. Fisioterapeuta no Instituto Branca Esportes e sócio fundador e fisioterapeuta da MOV4- Fisioterapia Esportiva.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.