Cuidados Com os Pés

promo251734494POR ANA PAULA PENTEADO – Quem corre, assim como quem pratica balé, geralmente tem orgulho das pernas torneadas. Mas outra coisa em comum que esses grupos apresentam são os pés…e esses nem sempre são motivo de orgulho. Bolhas, unhas pretas…basta aumentar a quilometragem e problemas podem aparecer.

Unhas pretas ocorrem quando os dedos não tem muito espaço e batem na frente do tênis. A unha preta é um hematoma subungueal (um sangramento que acontece debaixo da unha). O primeiro sintoma é sentir um latejamento no(s) dedo(s) logo após correr – e quando isso acontece, recomenda-se colocar o dedo de molho em sal e vinagre (bastante sal e vinagre suficiente apenas para transformar o sal em uma “pasta”), pois o sal ajuda na “drenagem” desse sangue acumulado (fazendo com que se espalhe) e assim talvez seja possível evitar o hematoma (e com certeza o sal alivia o latejamento). Cremes para hematomas também ajudam (por exemplo, Hirudoid). Algumas pessoas usam uma alternativa “radical” para solucionar esse problema – furam a unha com uma agulha, assim o sangue sai e pára de pressionar a unha (há “lindas” images/vídeos na Internet com isso). Assim como todo hematoma, ele só fica preto depois de uns dias, quando o sangue coagula. Depois que a unha ficou preta, ela fica assim por meses até que cai e dá lugar a uma unha nova, mas normalmente mais fina e frágil que a original.

Para evitar unhas pretas, precisamos entender o que está “esmagando” nossos dedos. Isso pode ser causado simplesmente por correr em muitas descidas íngremes e ter os dedos comprimidos contra a ponta do tênis. Tenha certeza de que o cadarço do tênis esteja firme, mas não apertado – passe o cadarço até o último par de buracos no tênis, já que esses normalmente não vem com o cadarço. Isso evita que os pés se movam dentro do tênis (que também pode causar bolhas).

Quando corremos, nossos pés incham (e quanto maior a quilometragem, maior o inchaço). Portanto, é indicado que o tênis seja um (ou até dois) número(s) maior(es) do que o nosso número normal. Indica-se a largura de um dedo entre o final do maior dedo do pé ate a ponta do tênis. Mantenha as unhas sempre curtas.

Pode ser também que o tênis que você usa não seja apropriado para seus pés. Por exemplo, algumas pessoas tem pés largos, problema facilmente resolvido para mulheres – tênis femininos são mais estreitos, portanto, nesse caso, uma opção pode ser optar por um tênis masculino. Outra opção –  algumas marcas tem tamanhos que variam na largura – New Balance, Brooks e Asics por exemplo oferecem alguns tênis de larguras diferentes (os tamanhos normalmente são em letras, A: estreito, B: normal, D: largo, E: extra largo).

Bolhas normalmente são causadas por fricção e se os pés estiverem molhados, isso pode aumentar a sua incidência – e para ter os pés molhados, não é preciso cruzar rios…basta suar. Por isso que meias de algodão não são recomendadas. Prefira os tecidos de secagem rápida. Outros métodos utilizados para evitar bolhas são: lubrificante para os pés, talco, duas meias ou meias que tem a separação de dedos.

Uma vez formada, se a bolha não incomoda, deixe-a. Mas se ela interfere na corrida, você pode furá-la/drená-la com uma agulha esterilizada – contanto que a agulha não toque a pele debaixo da bolha, não vai doer. Pode-se também usar uma linha na agulha: depois de drenar a bolha, passe essa linha pela bolha (dentro e fora da bolha) e deixe-a no local. Isso evita que mais água se acumule, pois a linha drena a água para fora da bolha. Mas tenha cuidado, já que esse método pode causar alguma infecção mais facilmente se a linha não for esterilizada ou se sujar.

Unhas pretas e bolhas não são problemas grandes, mas se o seu objetivo na corrida envolve muitos quilômetros, pequenos problemas podem tomar proporções maiores, suficientes para tirá-lo de uma prova. Em qualquer circunstância, sabendo tratá-las ou ainda melhor, evitá-las, vai fazer suas corridas bem mais prazerosas.

 

Ana Penteado é corredora há 25 anos e a última prova que fez é conhecida como a ultramaratona mais dificil da Australia, 175km em trilhas/montanhas. Mas para a Ana, o conhecimento em corridas não vem apenas da experiência. Ela é casada com Dom Cadden, que é treinador, multi-atleta e escritor para revistas e jornais na area de saúde, nutrição e treinamento. Há alguns anos atrás, a Ana e o Dom fizeram um documentário sobre ultramaratonas. Alguns dos artigos publicados internacionamente pelo Dom podem ser vistos aqui: http://www.wtfitness.com.au/articles

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.