Dieta lowcarb para corredores?

POR ANA PAULA MARTINS – Desde que mundo é mundo, aprendemos que carboidrato é nosso principal gerador de energia. E talvez, por isso, as recomendações para corredores sejam sempre fechadas e lacradas no mesmo assunto: vai correr? Toma um gel, ou come um pão com geleia. Será que é por aí? Será que não podemos gerar energia através de outro combustível?

É justamente sobre isso que vamos conversar. Nosso organismo, desde sempre acumula energia na forma de gordura. Isso mesmo, essa gordura estocada no seu corpo é um grande gerador de energia. Temos estoques de gordura quase ilimitados para queimar. Uma pessoa com 70 kg, por exemplo, pode ter 80.000 calorias em gordura para serem usadas a qualquer momento, o que você tem que fazer é  ensinar seu corpo a correr utilizando gordura.

Para que esta gordura seja mobilizada, ela precisa, digamos, ser chamada para trabalhar, e isso só acontece quando o organismo não acha mais carboidrato de forma rápida. E é a partir dessa falta de carboidrato, que a geração de energia através da gordura acontece. Gordura se transforma em glicose e você tem energia. Veja: a glicose é a grande geradora de energia, mas ela pode vir do seu estoque ou da comida. Se vc tem estoque sobrando, porque não usar deste estoque?

E aí que entra a alimentação lowcarb que, quando usada da forma correta, e dentro de um planejamento alimentar, faz com que suas reservas de gordura sejam usadas para gerar energia. E dentro desse conceito, voce pode correr sem necessariamente comer pão com geleia antes do treino e, sim, algumas lascas de côco fresco.

E o rendimento como fica? Muito melhor do que com o consumo de carboidrato, principalmente quando se trata do início de uma prova.

Corridas onde é a gordura é o combustível inicial, garantem ao corredor uma melhor adaptação e performance ao logo do trajeto. Claro que podemos usar carboidratos ao longo do percurso, mas esse carboidrato, na maioria das vezes, será de médio ou baixo índice glicêmico e vai depender muito do corredor, da km e da sua adaptação, por isso, é recomendado a procura de um profissional para te orientar quanto ao processo de transição.. O que queremos é mostrar ao corpo, que ele pode gerar sua própria energia.

Nutricionista, formada há mais de 15 anos. Especializada em nutrição clínica, fitoterapia e em nutrição esportiva, pelo Centro de Ensino Valéria Pascoal.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.