Disfunção femoro-patelar: Saiba o que é e como resolver

Esta síndrome é uma das lesões mais comuns e acomete 25% da população

A disfunsão femoro-patelar é consequência de um desequilíbrio biomecânico, que atinge a articulação entre o fêmur e a patela, no joelho. Está síndrome acomete 25% da população, sendo mais comum entre mulheres e jovens.

Prof. Dr. Thiago Fukuda

“Mulheres tem maior predisposição a desenvolver esta síndrome, tanto por questões biomecânicas, como “quadril” mais largo, frouxidão ligamentar generalizada nas articulações do pé e joelho, como por questões hormonais (esta última ainda não está bem compreendida na literatura). Entretanto, atletas que aumentam o volume de treino de forma não-controlada também ficam na mira da dor anterior, independente do gênero”, explica o Prof. Dr. Thiago Fukuda.

Segundo a fisioterapeuta Laura Uehara, não existe uma causa muito bem delimitada para esta síndrome. “A principal causa não é exata, porém em estudos recentes demonstram que normalmente ocorre por impacto, desgaste ou sobrecarga que podem gerar desequilíbrios biomecânicos na estrutura do joelho, podendo acometer pessoas ativas ou mesmo sedentárias. No caso dos praticantes de atividade física é por conta do impacto excessivo, podendo levar a um desgaste; já no caso dos sedentários, acontece por sobrecarga, normalmente por estarem acima do peso”, diz.

“Além disso, também é muito encontrada em atletas de ambos os gêneros que praticam corrida, principalmente quando excedem no treino com aumento de volume. A principal característica é a dor na região da frente do joelho, sem relação com um trauma agudo, podendo estar associada ao amolecimento ou até mesmo desgaste da cartilagem (condromalácia ou condropatia patelar)” explica Thiago Fukuda.

Os principais sintomas são as dores entre a patela e o fêmur, que pode se estender para a região anterior do joelho ou região posterior da coxa. Laura Uehara acrescenta que, “movimentos como agachar, subir e descer escada e saltar podem causar dores.E caso o indivíduo fique muito tempo sentado, este poderá sentir dor também. Estalos e sensação de “areia” nas articulações também são comuns na caminhada e corrida”.

 

Dra. Laura Uehara

O tratamento deve ser feito com sessões de fisioterapia, uso de joelheiras no dia-a-dia, medicamentos, quando receitados, e cirurgia em casos mais extremos. “Um tratamento completo de fisioterapia consiste em técnicas ou recursos para diminuir a dor e inflamação nos tendões ao redor desta articulação, técnicas para melhorar a flexibilidade e principalmente fortalecimento muscular de quadril e joelho com foco em corrigir o movimento”, explica Thiago Fukuda.

 

Uma vez lesionado, o ele recomenda que o atleta diminua o volume de treino em pelo menos 20%, “Não há a necessidade de parar de correr para realizar o tratamento, desde que esta diminuição seja respeitada” explica.O tempo ideal de repouso para quem treina diariamente deve ser de um dia. “Este dia de intervalo pode ser substituído por um bom trabalho na musculação, pilates ou até mesmo por uma sessão de fisioterapia mais intensa, contemplando exercícios de correção biomecânica”, recomenda Fukuda.

A prevenção da síndrome femoro-patelar pode ser feita evitando o sobrepeso, aumento no volume de treino de mais que 10% de um mês para o outro, mantendo a flexibilidade e o fortalecimento muscular.

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.