Eu acreditei…… Você também pode!

POR VANESSA BORGONOVI – Prazer! Sou Vanessa, tenho 40 anos, sou mãe de duas, dona de casa, pedagoga e corredora por paixão. Sempre tive o biotipo “perfeito” imposto pela mídia: 66kg distribuídos nos meus 1,72mts de altura. O que hoje sinceramente acho uma besteira, pois nós temos, sim, que ter qualidade de vida, saúde, porém alguns quilos a mais não lhe torna a pior das criaturas. A perfeição está nos seus olhos e não nos olhos de quem lhe olha. Cabe a nós buscarmos a melhor versão de nós e sermos felizes.
Bom, também não estou aqui para falar o que é certo ou errado, bonito ou feio. Hoje venho aqui contar um pouquinho de minha história.

Em 2014 participei de minha primeira corrida de 5k, foi mais uma caminhada do que corrida propriamente dito. Neste dia que aquele tal “bichinho da corrida” me picou. Ao mesmo tempo em que estava muito feliz, estava desapontada comigo mesma. E veio a minha primeira meta: completar uma prova de 5k. E assim foi feito!

Dedicação, garra e muita força de vontade era o que eu tinha. Dias, meses lá estava eu chegando para meus primeiros 10k. Que medo que senti! Meu corpo parecia uma batedeira de tanto que tremia enquanto aguardava a largada. E lá fui eu…
Como era longe…

Ao mesmo tempo que meu corpo doia inteiro, uma alegria transbordava em mim. Linha de chegada! Lá estava eu feliz da vida, 10K meta concluída. E agora? Pensei comigo? Ao passar dos meses aqueles 10K foram deixando de ser um “bicho papão” para mim e lá fui eu me inscrever na minha primeira meia maratona.

Confesso que estava muito mais tranquila do que a primeira prova de 10K, até o dia da prova! Rs Dor de barriga, calafrios, pernas bambas… Todas aquelas sensações novamente. O que posso dizer sobre meus primeiros 21K?
Várias sensações pude viver aquele dia: alegria, emoção e superação. Lembro-me até hoje o que achei muito interessante durante os 21K: as pessoas conversam, se apoiam. Que dia! Terminei a prova com lágrimas nos olhos e muito orgulho de mim mesma.

Daí em diante algumas outras meias aconteceram, umas melhores outras piores, porém sempre com o sorriso no rosto. Mais um ano passou… Lá estava eu planejando um novo e audacioso voo: uma maratona! Como fui criticada por isso! Se eu me importei? Jamais!

Minha família me chamava de louca a cada sábado em que eu saia da cama as 4hs30 para treinar. E eu destemida e cheia de orgulho de mim mesma só pensava em cruzar aquela linha de chegada após 42.195. Chegou o grande dia! Novamente todas aquelas sensações habitavam meu corpo e lá estava eu, no meio de uma grande multidão pronta a percorrer a cidade de SP e me tornar maratonista! Que prova! Que vibe! Impossível de explicar o que é correr uma maratona! Cruzar a linha de chegada foi um momento de êxtase. Experimentei novamente a sensação de missão cumprida, um misto de alegria, cansaço, alívio por ter comseguido terminar sem me machucar e até mesmo tristeza por ter treinado tando e ter passado tão rápido.
Depois da maratona tirei 30 dias de “férias” de treinos. Curti minha família, organizei minha vida e ai?

Movida por desafios lá estava eu novamente pensando em qual seria a nova meta a me aventurar. Lembro- me como se fosse hoje! 8 meses depois da maratona em uma brincadeira com amigas no whats app, eis que a nova meta estava decidida!
Iria fazer uma Ultra Maratona! A prova alvo: 75K de Bertioga-Maresias.

Bom… mas esta história eu deixo para contar em um post especial para ela. Afinal aquela que foi dos 5K aos 75k podemos dizer que “Nada é impossível, basta acreditar”!

Vanessa Borgonovi – 40 anos, mãe de duas filhas, dona de casa, pedagoga e corredora por paixão!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.