Jejum e desempenho: qual a orientação?

POR PAOLA NUNES – É comum corredores que treinam pela manhã optarem por correr em jejum, seja por falta debeneficios-cafe-da-manha
apetite nesse horário, por não terem tempo para esta refeição, ou pelo pouco tempo que terão para o esvaziamento gástrico, que quando não ocorre adequadamente pode causar refluxo no momento do treino. Entretanto, para o melhor desempenho e performance na execução de qualquer atividade física é imprescindível o consumo adequado de nutrientes. Principalmente em exercícios de alta intensidade, como a corrida, a presença de carboidrato, em quantidade adequada, favorece ao desempenho, por retardar a fadiga, uma vez que preserva a reserva de carboidrato no organismo, o glicogênio.

Esta reserva está presente no músculo e também no fígado e é utilizada para fornecer energia ao nosso organismo enquanto não há o consumo alimentar. Desta forma, para quem pratica a corrida no período da manhã, após um longo período de sono, os estoques de glicogênio já foram bastante utilizados, por isso, um consumo de nutrientes em quantidade adequada pela manhã, previne que o corredor tenha hipolglicemia (baixa do açúcar/glicose no sangue), queda na capacidade aeróbia, além de evitar que haja proteólise, ou seja, perda de massa magra durante o exercício em jejum.

Além disso, a ingestão de carboidratos estimula a função cerebral, proporcionando a sensação de bem-estar durante os exercícios. A manutenção de um fluxo adequado de glicose para o cérebro é importante para diminuir a percepção do esforço comumente observada nessas condições. O aumento na percepção do esforço durante os exercícios prolongados, na maioria dos casos, precede a incapacidade do músculo em produzir a força e a potência adequadas.

Portanto, a ingestão de carboidratos pode retardar a depleção de glicogênio muscular e hepático, aumentando a captação e utilização de glicose pelos músculos e cérebro. Evitando o comprometimento na continuidade dos treinos.

Por fim, ressaltamos que uma orientação individualizada, com nutricionista, proporciona não somente a consciência quanto aos alimentos necessários ao fornecimento de nutrientes, mas também há também a preocupação em como organizar esta refeição de modo que tenha praticidade no preparo, fácil disponibilidade dos alimentos e que estes estejam de acordo com as preferências alimentares individuais. Respeitar a sua individualidade bioquímica e o funcionamento da fisiologia do nosso organismo é o modo mais correto de se atingir os objetivos desejados!

(*) Paola Nunes é nutricionista.

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.