Nem sempre o mais rápido nos treinos de velocidade será o mais rápido nas maiores distâncias.

Quando definimos um objetivo na corrida, os treinos são redirecionados a ele.

Tipos dos estímulos, frequência, duração, intensidade…tudo é específico e ligado ao seu principal objetivo.

Dentre os métodos de treino, sempre temos mais facilidade em executar alguns do que outros. Isso pode estar relacionado com aspectos fisiológicos, que beneficia algo, mas sempre em detrimento de outro aspecto.

Por isso que identificar onde você sente maior dificuldade é crucial, pois a definição de seu objetivo pode (ou não) estar atrelado aos tipos de estímulos que tem maior facilidade de fazer.

Quem nunca conheceu um corredor que literalmente voa nos treinos intervalados, mas quando se expõe a uma maior distância sente dificuldade. Eu mesma já conheci muitos corredores velozes e que ficavam sempre atrás em treinos e provas de corredores mais lentos quando comparamos os treinos de velocidade.

Por isso ao definir seu objetivo pense no que você faz melhor e com mais facilidade, para assim alinhar o que a sua fisiologia tem a te oferecer. Fazer isso não é fugir dos desafios, mas sim poder oferecer o seu real melhor, o que o seu corpo desenvolveu como a melhor parte dele.

Pense nisso, reflita sobre quais treinos você se sente “em casa”. Sua meta final pode estar nestas entrelinhas dos treinos que você faz melhor. 

Assim a corrida, seus treinos, nunca serão um fardo, mas sim realizações do que você faz melhor.
Bons treinos, sempre com foco 😉

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.