Nunca desista de continuar correndo!

POR WANIA SIERRA RENNÓ – Não desisto nunca! Quantas vezes já ouvi isso de atletas de corrida. Mas será que é isso mesmo? Quando trabalho com atletas, trabalhamos metas pessoais, as emoções envolvidas no esporte, suas expectativas em relação a si mesmo, expectativas em relação às provas escolhidas. E em algum momento essa frase aparece: Nunca desisto. Uma frase bem forte.

Depois de tanto tempo trabalhando com atletas, esta é  uma afirmação que questiono.  Apesar de ser uma frase motivacional, precisamos ter cuidado.

Mas o que significa nunca desistir para um atleta?

Quem não lembra da maratonista suíça Gabrielle Andersen nas Olimpíadas de Los Angeles em 1984? Ela chegou em 37 lugar. Ninguém se lembra da atleta que ganhou a prova. Mas lembramos da cena de Gabrielle chegando, caminhando com dificuldade, entortando seu corpo para um lado. Ela não desistiu! Anos depois numa entrevista ela disse que se deu conta que temos limites. E disse não se orgulhar daquela cena de sua chegada. E ela completou: ‘Muitos limites estão na nossa mente, é o que dizem, a mente faz grande parte do que você quer fazer. ”

Sim, ela ultrapassou sem dúvida nenhuma, seu limite físico. Mas sua mente a fez terminar a prova. Sabemos que nossa mente é o motor do nosso corpo.

Isso é nunca desistir?

Quando as pessoas começam a correr, elas vão passando por fases no crescimento de seus treinos e objetivos para cada prova. E quanto mais correm, quanto mais fazem provas, mais querem fazer. Vão aumentando a quilometragem das provas e a frase: nunca desisto está presente.

Já vi atletas correrem lesionados, com dores fortes, e continuar correndo mesmo passando mal de alguma forma. Mas será que o nunca desistir é isso? Apesar de tudo, apesar de como se sentem terminam a prova. Será que esses atletas são heróis? Será que esse é o objetivo do esporte em suas vidas? Provar que nunca desistem. Provar que são fortes. Mas para que? As pessoas correm porque gostam de correr! É preciso provar o que para quem?

Como psicóloga eu diria que é muito importante o atleta perceber seus limites. Quando o atleta entender seus limites consegue entender seu potencial. Consciência corporal é fundamental para conhecer seus limites e saber que precisa parar por algum motivo ajuda a desenvolver mais consciência corporal.

Qualquer coisa pode ocorrer numa prova. Mesmo com treinos adequados, conhecimento do trajeto, boa alimentação, bom estado físico, bom estado psicológico, o atleta está exposto a qualquer ocorrência. Lembrem-se de que não podemos controlar tudo! E talvez parar no meio de uma prova seja o verdadeiro significado de nunca desistir. Pois outras provas virão! O sentimento que surge pode ser de frustração, já que quando se começa uma prova o atleta quer terminá-la. Então, aprenda a resignificar sua frustração. Esse é um trabalho necessário quando o atleta não consegue terminar uma prova ou alcançar seus objetivos propostos.  Talvez seja o início de uma nova fase em sua vida no esporte. Repense com calma no que aconteceu. E então: Nunca desista de continuar correndo!

 

Wania Rennó é psicóloga Clínica e do Esporte, diretora do Núcleo de Integralização Humana
Facebook: wania.r.sierra
Instagram: waniarenno
www.nihumana.com.br

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.