O Ato de Correr

runners-1829201_1920POR DANIELA BARCELOS – Correr é um movimento que pode estar presente na vida de uma pessoa nos seus primeiros anos.
É também uma atividade cíclica que está presente na maioria das modalidades esportivas.
É um exercício físico que conquista a cada dia mais adeptos, seja devido ao fácil acesso, a praticidade ou a simplicidade de realização.

Mesmo com todas estas características, é importante ser realizado sob orientação, caso a pessoa queira evoluir na prática. Se etapas e planejamento forem ignorados, pode provocar ao iniciante uma inesperada lesão impedindo a sua continuidade.
Daí parte a importância de como os conhecimentos da anatomia e fisiologia humana servirão de base para uma corrida mais segura.

Quando iniciei na modalidade, não me atentava na forma como corria, os movimentos dos braços e pernas, se eram sincronizados como precisa ser. Acredito que por isso o início pareceu tão difícil e parece para muitos. É preciso coordenar também a frequência da respiração juntamente com o movimento do corpo, e por vezes não enxerga-se como um trabalho a ser realizado juntamente.

A corrida foi uma das responsáveis por cursar a graduação em Educação Física. Durante a faculdade, em cada disciplina, procurava fazer ligações com este esporte o qual pratico há 16 anos. Logo no primeiro ano estudei a disciplina de Anatomia e Cinesiologia, e através delas percebi o quanto o conhecimento da estrutura de nossos membros nos auxilia realizar os movimentos presentes em nossa rotina diária.
Percebi o porquê da importância da sincronização dos movimentos, o que cada articulação é capaz de fazer, e como os ossos, músculos e tendões agem. Que o equilíbrio das forças de todos estes tecidos precisa ser observado.
Também entendi que cada parte de nosso corpo possui um período de recuperação, e de que o descanso é tão importante como o treinamento em si.

Além disso, deve-se sempre respeitar as etapas da prática de um exercício físico realizando sempre um aquecimento adequado para que seu corpo esteja preparado a um estímulo mais intenso, para que todos os sistemas percebam que algo está por vir e que devem se adaptar ao esforço. Assim como ao final também é importante retornar todos estes sistemas a um estado mais aproximado do repouso, para que no próximo estímulo este esteja mais recuperado e preparado.

E por mais simples que seja o ato de correr, se este for composto de um movimento mais econômico, sem desperdício de energia, procurando reduzir o grande impacto gerado nas articulações dos membros inferiores, permitirá as pessoas, dentro de sua individualidade e objetivos, que a realizem de forma mais segura, reduzindo o risco de lesões e assim progredir gradualmente na modalidade.
Bons treinos!

Daniela Barcelos tem 15 anos de experiência como atleta amadora – começou a correr em 1999. Formada em Educação Física e com pós-gradução em Fisiologia do Exercício, Dani fundou este ano a assessoria que leva seu nome. Conheça mais em www.danibarcelos.net.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.