Suplementos: programa promete mais segurança

Abenutri

A ABENUTRI (Associação Brasileira das Empresas de Produtos Nutricionais) anunciou o lanámento de um Programa de Automonitoramento para o setor de suplementos.  O objetivo, segundo o presidente da instituição, Marcelo Bella, é garantir a qualidade dos produtos disponíveis no mercado brasileiro – sejam nacionais ou importados – e, consequentemente, a segurança dos consumidores. “Este Programa é, definitivamente, um marco para o setor de suplementos nutricionais e esportivos, que faturou cerca de US$ 320 milhões em 2014 e que vem crescendo cerca de 23% ao ano nos últimos cinco ano – para 2015 a previsão é de uma crescimento de 14%”.

O Programa de AutoMonitoramento beneficiará consumidores, fabricantes, comerciantes e importadores, e consiste em verificar, por meio de análise técnica e laboratorial, se os suplementos nutricionais disponíveis estão de acordo com a legislação sanitarista nacional. Serão feitas avaliações de conformidade em relação a normas de rotulagem, ingredientes, publicidade, entre outros ítens, tanto a partir de denúncias, como de análises ativas periódicas por parte da ABENUTRI. “O mercado todo ganha. Tanto clientes quanto fornecedores são beneficiados com a regulamentação de seus produtos. E com o programa vamos conseguir agregar mais credibilidade ao setor”, afirma Marcelo Bella.

Na prática, o programa funcionará da seguinte forma: a ABENUTRI e demais entidades parceiras receberão as denúncias sobre produtos irregulares do varejo, que serão avaliadas por um conselho de ética – este verificará a legitimidade da acusação. A empresa é convidada a participar do programa e o produto passa por uma análise técnica e/ou laboratorial, emitindo-se um parecer.  A empresa responsável pelo produto será comunicada e será concedido prazo para apresentar respostas ou adequar o produto à legislação. “Com a resposta, será realizado o julgamento pelo Comitê de Ética, que proferirá uma decisão, pela regularidade ou não do produto”, explica o consultor jurídico da ABENUTRI, o advogado Flavio Menezes, do escritório Menezes Advogados.

Caso a empresa se negue a fazer as modificações necessárias, a ABENUTRI notificará a ANVISA e/ou demais autoridades competentes, que punirá a companhia com as consequências cabíveis. Já se a empresa regularizar seu produto, receberá um certificado de regularidade do produto por lote, será inclusa no cadastro positivo de empresas da ANVISA, além da publicidade nos canais de comunicação do setor regulado.

Atualmente, no Brasil, 2,5 milhões de pessoas consomem suplementos alimentares e o mercado soma 250 marcas pertencentes a 100 empresas, sendo 60% nacionais e 40% internacionais, que têm seus produtos vendidos em 11 mil pontos de venda, entre lojas especializadas e farmácias. Bella diz que o mercado brasileiro ainda vai crescer muito e que o programa de Automonitoramento será um grande aliado para garantir uma expansão positiva e um fortalecimento da imagem da indústria de suplementos. Para se ter uma idéia, os Estados Unidos que tem um mercado já maduro faturam US$ 4 bilhões ao ano, com 50 milhões de consumidores. São cerca de 2.500 marcas e 100 mil pontos de vendas.

Este crescimento do mercado de suplementos reflete o aumento pela busca de mais saúde e qualidade de vida. Pesquisas mostram que o número de praticantes de atividades físicas cresce a cada ano no Brasil: são 550 milhões de brasileiros praticantes de atividades físicas e apenas 3% deles fazem uso da suplementação. “Ainda temos muito o que crescer, há um potencial muito grande. Mas para isso é preciso ter informação e se fortalecer a cultura do suplemento”.

Estão sujeitos ao programa suplementos esportivos (alimentos voltados a atletas), suplementos vitamínicos e minerais, alimentos com alegações de propriedade funcional ou de saúde, substâncias bioativas e probióticos com alegação de propriedade funcional e/ou de saúde e misturas para o preparo de alimentos e alimentos prontos para o consumo, alem de novos alimentos/ingredientes.

Canais de venda

Quanto aos canais de venda, o mercado hoje tem cerca de 20% das compras feitas pela internet, 50% nas lojas físicas especializadas e 30% em farmácias.

Para o segmento de sport nutrition, os produtos à base de proteínas são os campeões de venda, com 65%. Em seguida vêm os aminoácidos e energéticos com 15% cada um; e hipercalóricos com 5%. Em relação ao perfil do consumidor, 80% são jovens entre 15 e 30 anos. São 80% de homens e 20% de mulheres das classes de A a D.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.