São Paulo celebra o Dia Mundial da Corrida

POR DEMÉTRIUS CARVALHO – Você está mais do que acostumado com as corridas matutinas aos domingos certo? E claro que você já viu inúmeras corridas noturnas aos sábados não? Dia de feriado e o que tem? Corrida. É claro. Mas em plena quarta-feira, 16h? Não vai dar ninguém não é mesmo? Errado.

A Yescom juntou uma pequena multidão no coração da cidade para uma pequena grande festa confraternização mundial. Pequena se comparar as suas grandes provas realizadas em São Paulo, mas grandiosa ao fazer parte de um evento mundial. A “Global Running Day”.

O evento percorreu diversas cidades do mundo celebrando e incentivando a corrida, ou mais do que isso, incentivando as pessoas a se moverem. Não importava o quão rápido se corresse, o importante era a confraternização mas a organização da prova tratou tudo como se fosse uma prova das mais acirradas com direito a kit pré e pós prova com medalha e tudo mais.

Como o trajeto é relativamente curto para corredores de rua (uma milha que equivale a 1,6k), todo o percurso foi fechado com grades para que se corresse com certo conforto (era possível encontrar um transeunte que passasse pela prova querer cortar o bloqueio para não ter que dar a volta, mas aí temos uma questão que inclusive foge de uma organização de corrida).

O percurso era de 800 metros onde cada participante dava duas voltas para então chegar no pórtico de chegada. O tempo máximo para se concluir o percurso era de 15 minutos para que se pudesse ter a pista liberada novamente para uma nova bateria de corredores. Embora houvesse corredores iniciantes, todos iam conseguindo concluir dentro do tempo limite mas claro que haviam corredores mais experientes que usavam a prova como um verdadeiro treino de tiro.

O dia estava nublado e começou a dar pistas que escureceria antes que o normal. A direção de prova em comunhão com os corredores presentes começaram a adiantar alguns poucos minutos cada bateria com a folga de minutos que sobrava e chegou a juntar as duas últimas em uma só para que ninguém corresse o risco de correr no escuro.

A prova tinha a chancela da IAAF e nos bastidores rolava assuntos de surpresas e melhorias das grandes provas da Yescom junto a própria IAAF.

Agora é aguardar para ver o que teremos pela frente.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.