Treino mental interfere na performance do corredor

brunozanutoEspecialistas americanos afirmam que a corrida é 90% mental. Então o que fazer ou como se preparar para que o psicológico não atrapalhe o seu desempenho nos treinos ou nas provas? Como derrubar aquela barreira mental e desenvolver ou ampliar habilidades como concentração, foco, resiliência e outras, que poderão ser utilizadas em todas as áreas da sua vida?

Atleta Profissional há mais de 18 anos, ex-jogador da Seleção Brasileira de Volley, Campeão Mundial e Eleito o Melhor do Mundo na sua categoria, Bruno Zanuto é hoje especialista em mindset esportivo e treinamento mental e Fundador do Programa TMRun e Criador do Método MPM. Em entrevista exclusiva ao GO! Running ele fala como aplicar o treinamento mental, quais os erros mais comuns cometidos por corredores e que prejudicam a performance na corrida e como evitar o que chama de autosabotagem.

GO Running (GR) – Qual a importância do preparo mental na corrida?
Bruno Zanuto – Especialistas americanos afirmam que a corrida é 90% mental. Já é comprovado cientificamente que a nossa cabeça falha antes do nosso corpo. Atletas profissionais submetidos a testes, quando relatavam estar em seu limite físico, ainda poderiam manter “fisicamente” suas performances por mais 30% de tempo. Em atletas amadores uma sensação de estar no limite pode aparecer logo nos primeiros metros e representa uma falta de resiliência mental, que é suportar um estímulo que pode gerar algum desconforto por um determinado período. Lógico que o corpo responde a estímulos que o cérebro passa e vai se condicionando e se adaptando a eles ao longo do tempo. Mas se a barreira mental não for quebrada não existe melhora.
Então se falamos de performance na corrida ligada a tempo e quebra de recordes pessoais ou o simples fato de começar a atividade e manter uma frequência e consistência nos treinos, o fator mental é fundamental. Não importa quanto você se dedique aos seus treinos físicos, se não estiver bem preparado mentalmente, você pode colocar todo o seu trabalho por água a baixo.

GR – Da mesma forma que treinamento o físico, devemos treinar o mental. É um processo? Qual o primeiro passo?

Bruno Zanuto – Somente 2% dos atletas atingem um estado considerável de padrão mental de maneira inconsciente. Isto é, eles desenvolvem essas habilidades por experiências que vivenciam no dia-a-dia deles. Existem diferentes caminhos e maneiras para você trabalhar o seu lado mental na corrida de maneira consciente. Na minha visão o treinamento mental na corrida deve ser aplicado durante a prática esportiva, e uma vez que isso acontece você tem a possibilidade de desenvolver habilidades como concentração, foco, resiliência e outras, que poderão ser utilizadas em todas as áreas da sua vida. Eu acredito que a corrida é uma ponte para uma grande transformação na vida das pessoas e um campo ilimitado para o desenvolvimento pessoal.
Existe um processo para que isso aconteça. Mantras e afirmações positivas têm um efeito superficial e não sustentam o corredor por um espaço longo de tempo. Por isso é necessário fazer um trabalho com mais profundidade, e ao mesmo tempo que possa ser de aplicação simples e prática, e traga resultados imediatos.
O primeiro passo é tornar consciente todo o processo, e entender o que de fato acontece na nossa cabeça quando estamos correndo.

GR – Quais os erros mais comuns que costumar prejudicar a performance de quem corre?
Bruno Zanuto – Os 3 erros mais comuns dos corredores que recebo são:
1. Não conhecer o seu corpo, isto é, ter uma baixa conexão corporal,  e assim não encontrar o seu ritmo. Tratamos de alguns assuntos polêmicos como correr com música e alta dependência digital e dos acessórios.
2. Tentar se convencer racionalmente do processo de começar a correr, subir de prova, ou quebrar records pessoais. É necessário uma ancoragem mais profunda para acessar uma força interior e sustentar essa jornada.
3. Péssima administração do diálogo interno.
GR – Você diz que todos nós possuímos “Autossabotadores” em treinos em provas, ou até mesmo para começar a correr. Pode explicar?
Bruno Zanuto – Todos nós temos autossabotadores e crenças limitantes que nos impedem de ter o resultado que queremos. Eles nos mantêm paralisados ou longe do nosso destino final. Um estudo americano comprovou que 73% das pessoas que pretendem começar a correr têm a percepção do esforço como principal motivo para não iniciarem a prática. Isso ilustra bem esse conceito. Antes mesmo de encarar um novo desafio já começamos a formular teorias de porque não podemos realizá-lo, que também podem ser baseados em conceitos formados, como por exemplo que é impossível você correr uma maratona, ou que é impossível você correr mais rápido. Esses são apenas alguns exemplos, os autossabotadores aparecem de diversas formas, e uma muito conhecida dos corredores é no diálogo interno que eles têm.

GR – Este treino mental é o mesmo para quem vai começar a correr ou vai participar de uma maratona?

Bruno Zanuto – O método MPM é baseado em chaves do mindset, e dão acesso a determinados campos a serem explorados e trabalhados pelo corredor. Serve para todos os níveis, já recebi de alunas com mais de 50 anos e que nunca tinham feito nenhum esporte na vida, e que hoje correm provas de 5km e 10 km e mudaram todo seu estilo de vida, a corredores que queriam correr mais e mais rápido e conseguiram bater todos seus recordes pessoais e chegarem nas provas que queriam, isso sem alterarem suas planilhas de treinamento, somente aplicando o Treino Mental. A diferença dos níveis de corredores dentro do método é que cada um vai ter uma percepção diferente das chaves de acordo com suas experiências na corrida e os “quilômetros rodados”. Um corredor avançado tem uma reflexão mais profunda e resultados em sua performance, e um iniciante consegue encontrar a sua força interior e vencer suas barreiras interiores, gerando a motivação e consistência necessária para entrar de vez no mundo da corrida. A parte boa é que o programa é cíclico e fica à disposição do corredor por um longo período de tempo, possibilitando ele rever as aulas e passar pelo processo por diversas vezes e se aprofundar em cada etapa.

GR – Que dicas você dá para que os corredores vençam a batalha mental?
Bruno Zanuto – A primeira dica é identificar o tipo de diálogo interno que estão tendo e fazer uma breve reflexão sobre eles. Isso já vai dizer bastante sobre os resultados que eles estão tendo na corrida. A partir daí criar estratégias que possam convencer a cabeça deles da evolução que estão tendo. Uma ancoragem emocional é fundamental para sustentar o corredor durante a corrida em momentos de dificuldade e na rotina do dia-a-dia. O nosso corpo pode quase tudo, é a nossa cabeça que temos que convencer.

Tenho um ebook gratuito que trata desse assunto “12 dicas para vencer a sua batalha mental na corrida” o link >>> http://tmrun.com.br/ebook-alta-performance/

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.