Uphill Marathon 2019: os desafios dos corredores e organizadores

POR DARLAN SOUZA – Neste ano em 2019, mais de 10 mil corredores queriam estar lá na Uphill Marathon, no Desafio Samurai (2 provas) e no Challenge 25km, mas apenas cerca de mais de 3 mil no total foram chamados.

A prova tradicional e mais desejada do Brasil, é temida por ser indicada para corredores avançados (não indicada para iniciantes), devido a altimetria, a condição climática característica da região e toda a logística que envolve.

Esse ano foi minha 4a. participação seguida nos 42km (de 2016 a 2019), e a impressão que eu tinha é que a Serra do Rio do Rastro queria nos pregar uma peça com o clima ameno de chegada.

O clima era quente na quinta-feira na nossa chegada no aeroporto de Jaguaruna em SC (ele é o mais próximo da prova), na sexta-feira o clima esfriou um pouco mais no alto da Serra, na retirada de kit da Expo e na corrida de 5km (com uma vibe de Treinão) em Bom Jardim da Serra/SC.

Já no sábado na largada em Treviso/SC estava mais frio e com previsão de chuva e ventos fortes na segunda metade da maratona, e se concretizou, dificultando ainda mais a subida até a chegada.

E sim se concretizou, a chuva veio muito forte e fria, nevoeiro e muito vento, e infelizmente a prova falhou na entrega rápida do guarda-volumes, pois estávamos muito molhados e com frio, causando hipotermia em muitos, as bebidas poderiam ser mais quentes, a medalha não atendeu às expectativas.

Na parte da tarde, o problema foi solucionado no guarda-volumes, mas o frio tomou conta da Serra, além da garoa fina para os corredores do Challenge 25km e os Samurais.

Esta edição ficou muito marcada por polêmicas, desde a premiação, desclassificação de atletas por tangenciar perigosamente as 260 curvas, as falhas operacionais, as fake news, mas nada que tire o brilho da história que ela criou e tem conosco.

Os organizadores rapidamente enviaram e-mail ainda no domingo a tarde, se reportando de como irão corrigir as falhas deste ano, desmentindo fake news (sobre suposta morte na prova), e oferecendo a possibilidade de todos os participantes voltarem sem concorrer em sorteio e entrando direto com inscrição.

A impressão que tive, foi que com o aumento da demanda, os organizadores tiveram um desafio tão grande quanto o nosso, que era de apenas correr e superar os limites.

Os acertos que tiveram foram muitos, posso destacar o link de transmissão do percurso no telão, os resultados no mesmo telão, uma boa banda tocando na chegada para animar a todos, venda de cervejas exclusivas, os food trucks, o aconchegante restaurante ao lado da expo (Mensageiro da Montanha) que estava aberto nesta edição (vale conferir), a tenda gigante (que pode ser maior) para abrigar a todos na Expo no alto da Serra, e a venda de produtos exclusivos da marca na prova.

Finalizo reforçando gostei de ver a atitude da organização, em seu rápido report, fico feliz pelo meu desempenho na prova 42k (4:40′), e de meus 4 alunos nos 25k e 42km (todos chegaram ao topo da serra, saudáveis, íntegros e levaram suas medalhas para casa como símbolo da determinação e do foco mental).

Agora é comemorar! E a dica para quem quer se planejar a edição de 2020, é preciso se inscrever rápido e alinhar tudo com muito treino, e principalmente realizar os ajustes logísticos (de hotelaria, avião e aluguel de carro) para que o desafio de subir a Serra seja uma experiência fascinante, assim como tem sido para mim, nestes 4 anos.

Vamos nessa, edição de 2020 promete mais em distâncias (5, 10, 21 e 42km) se tudo der certo no sorteio, “fujam para as montanhas!”

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.